Home / A Voz do Taxista / Taxistas do Grande ABC criam Comissão Provisória
Táxi ABCDMRR

Taxistas do Grande ABC criam Comissão Provisória

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">
sindicato, taxiabc
Os três taxistas da Comissão Provisória

O ABCDMRR é uma importante região industrial do Estado de São Paulo, apesar de perder muitas industrias. A região fica na zona leste do Estado de São Paulo, cerca de cinquenta quilômetros do litoral. As setes cidades São: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

São 1500 taxistas, sendo aproximadamente 600 segundos motoristas e o restante permissionários que se dividem entre pontos de táxi e três rádio táxis, sendo a Cooperativa ABC Rádio Táxi a mais importante.

A Voz do Taxista bateu um papo descontraído com três taxistas que preocupados com a situação da categoria da região, arregaçou as mangas e tomaram a frente da luta, Osvaldo Gomes, Fabio Tavares e Roberto Carlos. Eles visitaram os pontos de táxis, criaram um grupo de Whatsapp para se comunicarem, a intenção é ter no mínimo um taxista de cada ponto de táxi das setes cidades para levar informações sobre as ações contra o transporte clandestino na região aos demais taxistas.

Osvaldo Gomes era um corretor de imóveis de São Bernardo do campo que optou pelo taxi a dois anos e meio, assim como Fabio Tavares, ex-garçon e caminhoneiro já taxista a oito anos e o Roberto Carlos, ex-metalúrgico e técnico em eletrônica já a vinte anos na profissão.

taxi abc
Carlos Laia com os três taxistas da Comissão Provisória

Os três tem buscado nas entidades dá Capital, SINDITAXI, Simtetaxi e na ABRACOMTAXI apoio para mobilizar os taxistas das setes cidades, para isso participam das reuniões que organizam as ações nacionais.

Eles criaram uma Comissão Provisória que ainda não é uma pessoa jurídica, mas que tem tido um papel importante para congregar e unir os taxistas do ABCDMRR. A mais importante ação dos três à frente da Comissão foi organizar por duas vezes a ida de taxistas do grande ABC à Brasília no dia 08/11, 6 e 7 de dezembro, por ocasião da votação do pedido de urgência ao PL 5587/2016.

A região tem um Sindicato que conta com pouco mais de 300 associados, apesar de estar instalado em um belo sobrado próprio em um bairro central, o Sindicato está sucateado – visitei a sede em 2015 – e isso não é força de expressão, equipamentos velhos, jornais e documentos empilhados em mesas ainda mais velhas.

Ponto de táxi em Mauá

A real situação do sindicato é uma caixa preta

Comandado pelo presidente, Odemar por décadas – que agora estar enfermo – e com isso a categoria não tem a entidade para fazer frente ao transporte clandestino favorecidos pelos aplicativos, Uber, 99 e Easy. O vice-presidente não quer tomar nenhuma atitude, ignorando o que prevê o estatuto, inviabilizando qualquer intenção de resgatar a força da entidade sindical nesse momento crucial da categoria.

Velhos e mesmos problemas

As dificuldades apontadas pelo três membros da comissão provisória é comum a toda categoria: Falta de bom atendimento aos passageiros por alguns taxistas, falta de uniformização no atendimento com adoção das novas tecnologias, modernização dos pontos de táxi e dos carros.

Roberto Carlos disse que gosta de “trabalhar com os aplicativos”, ele afirma que esses tornaram mais prático o atendimento por conectar o passageiro ao taxista dando todas as informações do itinerário e do passageiro. Ele lamenta a atitude da 99 e Easy de deixarem de ser exclusivos de taxistas e passarem a usar carros particulares, o que é ilegal.

Osvaldo Gomes disse que “há falta de informação para o taxista” pela rapidez dos acontecimentos, acha também que o momento não permite que a tarifa seja reajustada, mas lamentou que Deputados e Vereadores reajustem seus salários mesmo nesse momento de crise.

Fábio Tavares disse que “precisamos ter uma data base para discutir a questão da tarifa, assim como toda categoria tem”. Fábio também acha que uma solução para combater os aplicativos, principalmente os que se diziam nossos parceiros é a criação do aplicativo próprio da categoria.

Conversamos por mais de três horas e a integra da entrevista pode ser conferida nessa segunda-feira às 10 Hs pela Rádio Web Sindical. www.webradiosindical.com ou pelo celular baixando o aplicativo A Voz do Taxista na loja do Google Play.

Sobre Carlos Laia

Comandada por Carlos Laia , A Voz Do Taxista tem por objetivo levar a categoria dos taxistas informação, levantar o debate dos assuntos importantes para o desenvolvimento profissional de toda categoria.

DEIXE SUA OPINIÃO!