(Mais um) Uber dos ônibus?

A tecnologia avanca a cada dia e vai mudando o panorama da economia e do mercado de trabalho.

Alexandre Moura

Um aplicativo (App) para smartphones criado na Espanha e semelhante ao Uber, mas voltado para “compartilhamento e fretamento de vans, micro-ônibus e ônibus”, já está disponível no Brasil.

Denominado de “Busup”, o App, segundo o representante da empresa espanhola no Brasil, “visa facilitar a contratação de ônibus para empresas, que utilizam este tipo de serviço para seus funcionários e o aplicativo serve também, para transporte de público em grandes eventos”.

O funcionamento é bem semelhante ao Uber e para usar o sistema, o passageiro procura e escolhe uma rota e horário que melhor atenda as suas necessidades e aguarda no ponto de partida.

No meu entendimento, é uma concorrência desleal e danosa às empresas de transporte público que arcam com uma série de custos que este tipo de serviço não disponibiliza, a exemplo das “gratuidades”.

Em 2025

Um documento publicado pela empresa de consultoria Bain & Company, mostra que “até 2025, máquinas (robôs) vão prevenir 70% das fatalidades na área da saúde, em nível mundial, através do uso de dispositivos e sensores embutidos no corpo dos pacientes”.

No mesmo documento, especialistas da empresa, com base em pesquisa realizada com executivos de 700 empresas de vários países, mostraram ainda que o uso cada vez maior de dispositivos de geolocalização, “avisará o varejista quando um comprador estiver chegando à loja para que assim, este possa ser mais bem atendido”.

Outras tecnologias vão informar aos atacadistas “quando um varejista ficar sem um produto e farão a solicitação de reposição e entrega de forma automática”.

E mais, a previsão também para 2025, é que “as transações em dinheiro encolherão em 80% em relação aos dias de hoje, com o crescente e continuo, aumento dos pagamentos via dispositivos biométricos e por celular”.

Resultado disso: número de empregos diminuindo, infelizmente.

50 milhões

Este é o número de usuários afetados por uma falha ocorrida com o Facebook, há poucos dias atrás. Os técnicos de segurança do Facebook, segundo informações da imprensa dos Estados Unidos, não conseguiram descobrir quem foi o responsável (ou responsáveis) por este “ataque cibernético” a popular rede social.

A única informação conhecida até agora é que uma falha técnica na função “Ver Como” da plataforma, que permite que o usuário veja o próprio perfil como se fosse outra pessoa, foi a “porta de entrada dos hackers”.

Essa função foi desativada até que uma solução seja encontrada para evitar que o problema aconteça novamente.

Com a invasão, os criminosos conseguiram acesso às contas destes 50 milhões de usuários, com livre acesso ao conteúdo, dados e informações como se fossem os próprios donos! Um tremendo risco a privacidade das pessoas!

Fraudes

A combinação “Celular com Cartão de Crédito” fez as fraudes financeiras aumentarem bastante nos últimos meses no Brasil. Segundo um estudo feito pela sucursal brasileira do “laboratório de cibersegurança da Psafe”, no período de janeiro a agosto deste ano, foram identificadas 6,7 milhões de fraudes ou tentativas, nas contas de usuários da combinação de cartão de crédito e celular.

Este número atingiu a impressionante taxa de 3,6 fraudes por minuto! E nada indica que este número vá diminuir nos próximos meses. No mesmo período foram identificados 920 mil golpes na Internet com o objetivo de roubar dados financeiros de consumidores para clonar cartões de crédito.

Para tentar diminuir este tipo de crime, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, recomenda que “os consumidores verifiquem a procedência dos sites das lojas virtuais e desconfiem das facilidades extremas oferecidas em algumas dessas lojas”. Afinal, vantagem em demasia pode ser uma indicação de golpe.

Na dúvida é sempre importante verificar no endereço www.consumidor.gov.br(serviço gratuito disponibilizado pelo Governo Federal) se há reclamações sobre determinado estabelecimento e ver as avaliações dos clientes

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios