Home / NOTÍCIAS / Aplicativo de táxi 99 recebe aporte de R$ 325 milhões da DiDi e parceiro

Aplicativo de táxi 99 recebe aporte de R$ 325 milhões da DiDi e parceiro

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

App planeja levar serviço de motorista privado às principais capitais do Brasil.

Fila de táxis no Rio de Janeiro – Pablo Jacob / Agência O Globo

RIO – A 99, antiga 99Taxis e start-up de mobilidade urbana no Brasil, formalizou nesta quarta-feira acordo para receber perto de R$ 325 milhões da chinesa DiDi Chuxing, dona da maior plataforma móvel de transporte do mundo e que adquiriu o Uber China em agosto de 2016. A asiática terá um assento no conselho de administração da empresa brasileira, oferecendo suporte nas áreas de tecnologia, desenvolvimento de produtos, operações e planejamento de negócios. Já a 99 vai perseguir a meta de levar seu serviço de motoristas de carros privados — o 99Pop, que disputa mercado com concorrentes como Uber e Cabify — às principais capitais do Brasil este ano.

— Estamos finalizando o acordo com a DiDi, que lidera o investimento superior a US$ 100 milhões, junto com outro grupo de investidores, cujo nome não podemos divulgar. Com o aporte, a meta é nos tornarmos líderes no segmento de motoristas de carros privados no país, como já somos em app de táxi. Vamos expandir o 99Pop de forma agressiva em 2017 — diz Matheus Moraes, diretor de Políticas e Comunicação da 99, explicando que o aporte é resultado do fechamento de uma rodada de investimento na start-up.

O Rio, continua ele, é um mercado prioritário na rota de expansão da 99. E garante que a internacionalização do aplicativo, com atuação na América Latina, virá depois da consolidação no mercado brasileiro

— Estamos definido como será o fluxo de expansão. O Rio deverá estar já na primeira leva de capitais em que vamos chegar. O foco inicial é Brasil, sem previsão de quando vamos ampliar a operação ao resto da América Latina — ponderou Moraes.

Criada em 2012, a 99, antiga 99Táxis, reúne hoje mais de 140 mil motoristas — entre taxistas e os de carros privados — em 550 cidades do Brasil. O aplicativo já foi baixado por dez milhões de usuários. O 99Pop, lançado menos de seis meses atrás, opera apenas na cidade de São Paulo. E aposta na robustez e expertise da empresa asiática para crescer. A DiDi tem 400 milhões de usuários distribuídos em 400 cidades chinesas.

“A China e a América Latina são os principais mercados emergentes do mundo, com grandes oportunidades para essa nossa indústria de mobilidade urbana. A parceria com a 99, líder do mercado brasileiro, permitirá que a DiDi comece a compartilhar seus produtos e sua capacidade operacional com comunidades e inovadores mais diversos, criando assim uma estrutura própria para a inovação, como previsto por nossos líderes durante o G20 Summit de 2016,” aponta Cheng Wei, fundador e CEO da DiDi Chuxing.

Perguntado sobre o conflito entre os dois segmentos, de táxi e de motoristas de carros privados, Moraes argumenta que a maior oferta de modais garante mais passageiros a todos os serviços:

— É preciso pensar como um funil se abrindo. Se existe apenas o serviço de táxi, vem um determinado número de passageiros. Com outros modais, o número de passageiros cresce. No fim do dia, a experiência mostra que crescem também as corridas para táxi — diz o executivo da 99, destacando que o app dá acesso aos dois serviços em uma única tela.

No Rio, um dos mercados-alvos para a 99, a regulamentação do serviço é permeada por protestos de taxistas e disputa judicial. No fim de novembro, o ex-prefeito Eduardo Paes sancionou a lei que restringe o transporte de passageiros em carros particulares a taxistas. A legislação, contudo, não vigora, suspensa por uma liminar obtida pela Uber na Justiça.

— Nós entendemos que a atividade, pela legislação federal, é permitida no Brasil. Ela merece e precisa ser regulada pelos governos municipais, mas já é legal — pondera Moraes.

A 99, continua ele, opta pela postura mais colaborativa. Tem, por exemplo, um acordo de cooperação com a Prefeitura do Rio, fornecendo dados sobre mobilidade em táxis na cidade.

 

Fonte: O GLOBO

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

Sobre Carlos Laia

A Voz Do Taxista é um portal de notícias criado por Carlos Laia para levar informações a classe dos taxistas, acompanhando os acontecimentos, dando opinião e ouvindo os principais personagens do incrível mundo do táxi.

2 Comentários

  1. WALDECI GONCALVES DE SOUZA

    Bom, já que o nosso país, e só de corruptos:
    Cabe a nos taxistas de todo Brasil, começar agir.
    Não podemos mais ficar de braços cruzados, enquanto os APP fazem a festa em cima de nos.
    A minha opinião, e: todos os taxistas se armarem, e partir pro tudo ou nada, já q eles não tem consciência, vamos matar essa cambada.

DEIXE SUA OPINIÃO!