Home / UBER-Transporte Clandestino / FIM DA LINHA PARA O CABEÇA DA UBER

FIM DA LINHA PARA O CABEÇA DA UBER

Até mais: Travis Kalanick é afastado por tempo indefinido do Uber

Numa mensagem destinada a todos os funcionários do Uber, Travis Kalanick anunciou que está se afastando do posto de CEO da empresa. No e-mail (leia a integra, em português, abaixo), ele diz que irá tirar um tempo de luto por sua mãe, que morreu num acidente de barco no final de maio. O pai do empreendedor também foi ferido na ocasião e ficou gravemente machucado.

Kalanick não informou na mensagem quando deve voltar. 

A saída de Kalanick é a hora oportuna para o Uber apertar o botão de reset, num momento em que a empresa precisa desesperadamente mudar de rumos. Na última segunda-feira (12), o conselho de diretores anunciou uma porção de mudanças na companhia, depois que denúncias tomaram as manchetes ao redor do mundo sobre a cultura tóxica e abusiva da corporação. Para muitos, Kalanick era um dos responsáveis.

Antes de 2017, as táticas utilizadas pelo CEO incluíam sabotar a concorrência, enganar motoristas a respeito das tarifas pagas pela empresa e driblar regulações políticas. Este ano, contudo, o número de polêmicas envolvendo a empresa cresceu – e o nível delas ficou mais baixo. Kalanick foi pego em um vídeo sendo rude com um motorista do próprio Uber que reclamava das tarifas cobradas pela companhia. O presidente da empresa para a Ásia foi demitido depois que os registros médicos de uma passageira que teria sido estuprada durante uma corrida foram passados pela companhia. Fora alegações de assédio sofrido por ex-funcionárias que chegaram ao noticiário.

No domingo (11), o conselho de diretores da empresa fez uma reunião para discutir um relatório encomendado ao ex-procurador geral dos Estados Unidos, Eric Holder, sobre o que poderia ser mudado. Uma das principais decisões foi pela demissão de Emil Michael, braço direito de Kalanick e vice-presidente sênior de negócios. O site CNN Money cita um investidor do Uber que descreveu o executivo como a pior parte da cultura do Uber e o principal responsável pelo momento turbulento da empresa.

A responsabilidade por onde estamos e por como estamos agora é minha. 

Todas as recomendações de Holder foram acatadas pelo conselho. Não se sabe se o afastamento de Kalanick da empresa fazia parte do relatório feito pelo ex-procurador.

Segundo o Quartz, o fundador do Uber passou a terça-feira considerando se deveria ou não se afastar do negócio. O site The Information diz que Kalanick afirmou aos diretores que sair poderia ser problemático, considerando a quantidade de executivos que disseram adeus à companhia nos últimos meses.

Leia a carta traduzida para o português na íntegra:

Time, 

Pelos últimos oito anos, a minha vida foi o Uber. Eventos recentes me mostraram que as pessoas são mais importantes do que o trabalho e que eu preciso tirar algum tempo do dia a dia da empresa para pensar em minha mãe, que foi enterrada na sexta-feira, para refletir, para trabalhar em mim mesmo e focar em construir um time de liderança de qualidade.

A responsabilidade por onde estamos e por como estamos agora é minha. Há, claro, muitos motivos de orgulho, mas também muitas oportunidades de melhora.  Para que o Uber 2.0 possa ter sucesso não há nada mais importante do que dedicar meu tempo à construção de um time de líderes. Mas, se vamos trabalhar nesse Uber 2.0, eu preciso trabalhar no Travis 2.0 para que ele se torne o líder que a companhia precisa e que vocês merecem.

Durante esse tempo afastado, o time de líderes administrará a companhia. Eu estarei disponível quando for preciso para as decisões mais estratégicas, mas eu estou dando poder a eles para que sejam corajosos e tomem as decisões necessárias para que a companhia siga em frente.

É difícil colocar um limite de tempo nisso [no afastamento] pode ser menor ou maior do que nós esperamos. Perder alguém tragicamente tem sido difícil para mim e eu preciso dizer meu adeus propriamente. A incrível quantidade de mensagens carinhosas e condolências de vocês me ajudou a ser forte, mas, no final, a maior parte delas terminava com uma pergunta: como eu posso ajudar você? Minha resposta é simples. Faça da nossa missão o trabalho da sua vida. 

Isso me dará tempo com a minha família. Coloque as pessoas em primeiro lugar, esse é um dos conselhos de minha mãe. E faça o Uber 2.0 ser tão real que as pessoas ao redor do mundo fiquem inspiradas pelo trabalho de todos vocês, e das pessoas inspiradoras que fazem do Uber fantástico.

Até breve,
Travis

Sobre Carlos Laia

Comandada por Carlos Laia , A Voz Do Taxista tem por objetivo levar a categoria dos taxistas informação, levantar o debate dos assuntos importantes para o desenvolvimento profissional de toda categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *