Home / UBER-Transporte Clandestino / Mesmo depois da lei federal Uber continua resistindo a regulamentação

Mesmo depois da lei federal Uber continua resistindo a regulamentação

Projeto de regulamentação dos aplicativos em Fortaleza contestada pela Uber com os velhos argumentos que já não convencem ninguém.
A cada dia que passa a empresa americana vai perdendo credibilidade, seja pelo recente acidente que resultou na morte de uma mulher nos EUA, ou pelas queixas dos  dasmotiristas pela alta taxa cobrada.
Os argumentos da Uber somente leva em conta o seu faturamento, não importando se o motorista tera faturamento para custear a operacao e pagar suas contas.
Veja na matéria do Jornal O Povo, as falácias da Uber e que os políticos aceitam.
#webradioterabyte #avozdotaxista
O Povo

Uber diz que medida prejudica 10 mil motoristas da Capital

Procurada para se pronunciar sobre os pontos acordados com a Prefeitura de Fortaleza para a regulamentação dos aplicativos, a Uber diz que não teve acesso ao texto. No entanto, para a empresa, algumas das questões apresentadas publicamente não levam em consideração as particularidades do sistema de transporte individual privado, criando redundâncias que trazem ineficiências ao sistema.

“A restrição de idade máxima de cinco anos do veículo, por exemplo, pode tirar a renda de mais de 10 mil motoristas parceiros da Uber em Fortaleza. Além de impedir oportunidades a motoristas parceiros, a restrição teria como consequência prejudicar o acesso da população ao serviço, desestimulando o compartilhamento de viagens em regiões periféricas, contribuindo para o aumento no valor das viagens e no tempo de espera por um carro”, diz.

Conforme nota enviado ao O POVO, a Uber informa que é a favor de uma tributação que deve ser fixada de maneira justa e equilibrada para não prejudicar a eficiência do serviço, os ganhos dos motoristas parceiros e o acesso dos fortalezenses a essa alternativa de mobilidade.

A empresa defende que além de uma tributação proporcional ao valor das viagens, não devem ser criadas taxas fixas, que penalizariam motoristas parceiros e impactariam negativamente os usuários. Modelos similares de tributações proporcionais já são seguidos em cidades como Brasília, Vitória e São José dos Campos.

“A Uber acredita que regulamentações positivas buscam ouvir todos os lados e usar a tecnologia para o bem das cidades e pessoas. Permanecemos à disposição do Poder Público para discutir melhores alternativas para a mobilidade de Fortaleza”, acrescenta, por meio de nota

Sobre Carlos Laia

A Voz Do Taxista é um portal de notícias criado por Carlos Laia para levar informações a classe dos taxistas, acompanhando os acontecimentos, dando opinião e ouvindo os principais personagens do incrível mundo do táxi.

DEIXE SUA OPINIÃO!