Da janela do táxi (vi) o coberto por um lençol, o corpo de um homem morto

Morte no Rio de Janeiro

Coberto por um lençol, o corpo de um homem morto a tiros às 9 horas da manhã espera a chegada da perícia criminal.

Pelo rádio, o taxista perguntou aos seus colegas que tinham os carros na área maiores informações sobre o cadáver de um homem caído no cimento de um posto de gasolina, no bairro do Rio Comprido. Logo começaram a chegar notícias sobre o indivíduo aparentando 40 anos, estatura mediana e que tombou com dois tiros no rosto.

O primeiro taxista informou:- Tinha acabado de abastecer o automóvel quando três ladrões tomaram seu carro e, por reagir, levou duas balas!

O segundo contou história diferente: – Após sacar seiscentos reais do caixa eletrônico da loja de conveniência do posto, dois meliantes tomaram-lhe o dinheiro, o assassinaram e fugiram em uma moto! 

Saiba Mais:

Imprima a guia ara renovar Alvará

Alvará, com conseguir

O terceiro taxista afirmou: – Comprava créditos para o telefone celular quando um marido traído o confundiu com o amante de sua mulher e o atingiu com vários tiros!

Já o quarto, reportava outra causa da morte: – Deu azar. Estava de passagem na hora do assalto e, por testemunhar o delito, foi executado!

Bem, uma quinta versão do assassinato do homem caído no chão do posto de gasolina chegava pelo rádio quando o táxi que me levava parou na porta do meu hotel, em Copacabana. No dia seguinte, procurei nos jornais. Não vi nenhuma referência a mais um crime banal nas ruas do Rio.

Orlando Brito

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios