Mercado ilegal de contas de apps facilita crimes

Jornalistas compram cadastro na 99Pop e mostram facilidade para se tornar motorista com perfil falso

É desconcertante a facilidade com que se consegue comprar cadastros de motorista nos aplicativos de transporte particular, como Uber e 99Pop. Em sites de venda informal, como OLX e Mercado Livre, qualquer busca rápida leva até inúmeras ofertas de contas falsas, disponíveis em todas as regiões do Brasil. Mas por que pagar por uma conta se o processo de registro nesses aplicativos é rápido e sem complicações?

Uma busca no site da Uber mostra os requisitos de inscrição: “Precisaremos analisar sua carteira de habilitação, o registro do veículo e outras informações e documentos do processo de inscrição de motoristas parceiros na sua cidade. Quando os documentos exigidos forem verificados e aprovados, você receberá acesso total ao app e poderá ficar online para receber solicitações e viagens e começar a ganhar dinheiro”.

No 99Pop, os requisitos não são diferentes. “Para realizar seu cadastro, tenha em mãos: documento de identidade, CNH, comprovante de residência, certificado de registro e licenciamento do veículo e foto de rosto”.

Não é difícil se cadastrar como motorista. Também não é tão difícil ter seu registro cancelado. Os passageiros podem denunciar o condutor por atrasos, cancelamentos inesperados, comportamentos inapropriados e veículos em más condições.

A quantidade e o teor das denúncias podem ser suficientes para causar o bloqueio da conta do motorista. Quando isso acontece, a opção mais rápida para se voltar a dirigir é a compra de cadastros falsos. Em outras palavras, quem efetua a compra de contas falsas tem ou teve sua conta original bloqueada.

Nas redes sociais, os preços dos cadastros variam entre R$ 100 e R$ 300. Os anúncios são diretos. “Conta Uber e 99Pop. R$ 200”. “Vendo 3 contas 99Pop. 300 cada”. “Vendo conta Uber e 99 hoje por 140”.

“Vendo ou troco conta da 99Pop”. Muitos deles trazem dados do vendedor, “termômetros” de confiabilidade e informações para contato. Além de vender, alguns perfis alugam suas contas: “Alugo conta Uber e 99Pop. Aluguel semanal. 200 por semana”.

Em uma busca de uma hora, O POVO selecionou três ofertas de contas da Uber e 99Pop no site OLX, duas de Goiânia e uma do Tocantins. Ao primeiro contato, os vendedores disponibilizaram números telefônicos e as negociações levaram menos de dez minutos, via WhatsApp.

“Como eu faria pra comprar? É só pegar e usar mesmo?”, questionamos. “Sim, loga no seu celular e já fica online”. respondeu. “É preciso dar algum documento ou fazer cadastro?” “Já tá pronto o cadastro, só logar no celular e sair rodando”.

Avançamos com as negociações até o momento final, quando era exigido o pagamento. O processo é descomplicado e o cadastro, imediato. Não há qualquer estágio de verificação de segurança. Depois de finalizada a transação, o novo motorista está livre para receber o chamado de passageiros e realizar suas viagens. O POVO contatou Uber e 99Pop para questionar a vulnerabilidade de seus sistemas de segurança. As duas empresas enviaram notas de esclarecimento.

A 99Pop declarou que já pediu a abertura de investigação dos casos envolvendo perfis falsos e que está fornecendo aos órgãos responsáveis todas as informações necessárias. Também garantiu que realiza o bloqueio imediato desse tipo de conta e adiantou que está incluindo novas funcionalidades no aplicativo.

“A 99 possui um processo de melhoria contínua de seus mecanismos de validação de motoristas. O aplicativo está incluindo em seu procedimento de revisão novas variáveis com vista a identificar mais estratégias de pessoas mal intencionadas e aumentar a segurança da plataforma.”

A Uber preferiu não se posicionar sobre os anúncios de venda de contas falsas localizadas pelo O POVO e falou sobre sua ferramenta de verificação de identidade em tempo real. “De tempos em tempos, o aplicativo pede, aleatoriamente, para que os motoristas parceiros tirem uma selfie, antes de aceitar uma viagem ou de ficar on-line, para verificar se a foto da pessoa que está usando o aplicativo corresponde àquela da conta que temos no cadastro. Isso ajuda a prevenir fraudes e proteger as contas dos condutores”.

Jornalistas contam os bastidores da reportagem:

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios