Home / OPINIÃO / O táxi, o Titanic e o iceberg.
Uber o iceberg do táxi

O táxi, o Titanic e o iceberg.

Todos conhecem a trágica história do Titanic, o transatlântico que afundou na sua viagem inaugural em 1914 levando a morte a dezenas de pessoas que achavam um privilégio viajar no maior navio já construído, um marco da industrialização do início do século XX.

Segundo crônicas da época, havia uma inscrição no navio que dizia “nem Deus afunda”, mesmo que tal inscrição seja apenas lenda, o estado de espírito do início do século XX era de um otimismo e veneração as inovações que iniciava na época.

Em uma noite como tantas outras a bordo do hotel flutuante, enquanto novos e velhos ricos inebriavam-se em champanhe na primeira classe, o Titanic colidiu com um iceberg, mesmo após saberem do acidente continuaram a dançar sob os acordes da orquestra, afinal “nem Deus afundaria esse navio”.

O táxi é o Titanic, a Uber o iceberg que o sepultara?

A votação do PLC 28/2017 no Senado no dia 31/10 deixou muitas incertezas sobre o que vai acontecer de fato em relação a atuação dos aplicativos no Brasil, a derrubada do artigo que outorgava aos municípios o poder de fiscalizar o serviço cria uma grande contradição uma vez que não será obrigatório a autorização para os motoristas exercerem a atividade.

“Retirar do texto o poder de autorização dos municípios é um verdadeiro absurdo”, afirmou Zarattini. O parlamentar, favorável a uma maior regulamentação no setor, defendeu a autoridade dada aos prefeitos: “Você não pode dizer que alguém vai fiscalizar um serviço se não tem o poder de autorizá-lo. Se eu não sou quem o autorizou, como eu irei puni-lo?” CB

Apesar de vários deputados como o próprio autor do PL na Câmara, Carlos Zaratini, afirmarem que o presidente Rodrigo Maia não pode engavetar o projeto, os taxistas temem que o looby milionário da Uber consiga isso. “Ele não pode engavetar o projeto”, afirmou o deputado Carlos Zarattini (PT-SP), líder da bancada na Câmara. “Não tem nenhum sentido, e é antidemocrático.”  CB

Somente com os taxistas nas ruas vai mudar a situação  

O táxi navegava em águas calmas antes do Uber

Em São Paulo, por exemplo, o decreto do ex-prefeito Haddad implementado pelo atual prefeito, João Dória, deixa claro a intenção dos municípios em continuar deixando os aplicativos Uber, 99 e Cabify atuarem sem nenhum freio, já que João Dória poderia ter colocado alguma exigência aos aplicativos quando publicou a resolução 16 que somente cria o CONDUAPP , cadastro dos motorista de aplicativos e coloca regras para os motoristas como apresentação pessoal.

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

Falta uma lei federal

O decreto 56 e nem a resolução 16 faz a regulação do serviço com base no Código de Trânsito Brasileiro e a lei 12.468/2011. Segundo o advogado santista Dr. Nobel Soares, a regulamentação  municipal é inconstitucional, justamente por não ter uma lei federal sobre a matéria e o CTB bem como a lei 12.468 deveriam ser o norte para a regulação e a fiscalização da atividade nos municípios.

Outro fator de desconfiança das reais intenções de João Dória, que conta com a omissão das entidades representantes dos taxistas e da Câmara Municipal é o fato de existir uma lei municipal, 16.345/2016, de autoria do vereador Salomão Pereira obrigando os aplicativos a trabalharem exclusivamente com taxis, o que não acontece desde a sua sanção pelo prefeito Haddad, o mesmo está acontecendo após João Dória assumir a prefeitura

uber
Enquanto táxi afunda, como o Titanic.

O looby dos aplicativos prevalecerá?

A visita do CEO mundial da Uber em Brasília no dia da votação mostra que a preocupação do legislativo não é dá condições melhores para os motoristas dos aplicativos e nem a defesa dos direitos dos taxistas, passam por cima de leis que os próprios criaram, tendo em vista os milhares de dólares que são faturados todos os dias nas capitais brasileiras pelos aplicativos.

Taxistas agem como os passageiros do Titanic

Enquanto taxistas mantém discussões vazias e até se agridem mutuamente em grupos de Whatsaap, os políticos que aproveitaram da situação de crise da categoria para se reelegerem nas eleições municipais com seu voto vão saindo de cena, no legislativo federal, mistério e incertezas continuaram em 2018.

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

Sobre Carlos Laia

A Voz Do Taxista é um portal de notícias criado por Carlos Laia para levar informações a classe dos taxistas, acompanhando os acontecimentos, dando opinião e ouvindo os principais personagens do incrível mundo do táxi.

DEIXE SUA OPINIÃO!