Home / TÁXI NEWS / INFORMAÇÕES E SERVIÇOS / REGRAS DE CONDUTA E TRAJES PARA TAXISTA

REGRAS DE CONDUTA E TRAJES PARA TAXISTA

As novas regras de conduta e traje são válidas para todos os taxistas

Orientações sobre as condições de higiene, conforto e segurança no veículo táxi e as condutas e posturas exigidas da profissão.

Essas orientações fazem parte do conteúdo do curso de taxista para obtenção do CONDUTAX, no processo de formação complementar e aperfeiçoamento profissional do taxista, comprovados mediante certificado expedido pelas entidades credenciadas junto ao Departamento de Transportes Públicos – DTP;

É utilizada enquanto parte do Manual de Fiscalização do Transporte da modalidade táxi;

Entende-se por trajar-se, utilizar roupas adequadas para o trabalho de prestação de serviço de transporte individual remunerado de passageiros, denominado táxi.

Comportamento envolve o relacionamento no local de trabalho, o atendimento aos passageiros e o relacionamento social onde o local de trabalho está inserido.
Local de trabalho é o ponto de estacionamento do veículo e o veículo de aluguel utilizado para atender os passageiros.

Conduta é a atitude do taxista em relação ao atendimento ao passageiro e no relacionamento no seu local de trabalho e do convívio social onde se desenvolve a atividade econômica de transporte individual remunerado de passageiros.
Postura é a forma como o taxista presta o serviço de transporte individual remunerado ao passageiro.

Traje

Constitui traje adequado para o trabalho na prestação do serviço de táxi de maneira geral:

I. Traje social:
a. Camisa social;
b. Calça social;
c. Sapato social;
d. Cinto social;
e. Usar blazer ou caban, nos dias de clima frio;
f. Traje feminino compatível (tailleur);

II. Traje esporte fino:

a. Camisa social lisa, manga curta ou longa, de cor única lisa ou risca de giz;
b. Calça jeans – corte social liso, de cores escuras;
c. Sapatênis ou sapato social;

Traje para os taxistas da categoria de táxi Luxo:

a. Terno ou smoking;
b. Camisa social manga longa;
c. Gravata;
d. Sapato social;
e. Traje feminino compatível (tailleur).

Traje para os taxistas da categoria especial Vermelho e Branco:

a. Camisa social branca;
b. Gravata;
c. Calça social;
d. Cinto social;
e. Sapato social;
f. Traje feminino compatível (tailleur).
Trajes proibidos
São proibições expressas de uso de traje para o trabalho de taxista:
I. Camiseta esportiva, camiseta regata ou qualquer outro tipo de camiseta;
II. Camisa com estampas;
III. Shorts e bermudas;
IV. Calça esportiva, calça de moleton e outras calças assemelhadas;
V. Tênis, sandálias, chinelos e outros sapatos similares;
VI. Jaquetas de times, de associações, clubes, etc;
VII. Gorros, bonés, capuz ou qualquer outro acessório que dificulte a identificação do taxista.

Condições obrigatórias do traje do taxista no local de trabalho:

I. Manter a camisa abotoada, exceto o botão do colarinho;
II. Sapato sempre limpo, engraxado e bem conservado;
III. Roupa sempre limpa e bem conservada;
IV. Cinto sempre bem conservado e afivelado.
Higiene
Higiene pessoal exigida:
I. Cabelo e barba sempre arrumados;
II. Unhas limpas e arrumadas;

III. Qualquer aroma que cause incômodo ao passageiro:

a. Suor;
b. Cigarros;
c. Bebidas alcoólicas;
d. Perfumes com fortes fragrâncias.
Higiene do veículo táxi:
I. Manter cintos de segurança, assentos, encosto de braços, painel e demais itens internos do veículo limpos;
II. Manter limpo filtro de ar condicionado;
III. Aspirar teto, piso, porta malas e interior do veículo;
IV. Manter a parte externa do veículo sempre limpa e polida;
V. Todos os acessórios disponibilizados aos passageiros devem ter limpeza constante;
VI. Manter porta malas limpos e com espaço determinada pela homologação do veículo;
VII. Manter o espaço dos bancos de assentos livres para o passageiro.

Conforto
Conforto e conveniência do veículo táxi:

I. Obrigatório:

a. Carregadores de energia elétrica para aparelhos eletrônicos (celulares, tablets, notebooks, etc.);
b. Disponibilizar meios de pagamento eletrônicos;
c. Ar condicionado ligado, com ambiente refrigerado, sempre que solicitado pelo cliente;

Atendimento personalizado de acordo com o interesse do passageiro:

I. Trajeto;
II. Informações turísticas;
III. Padrão do ar condicionado;
IV. Noticiários ou música ambiente;
V. Que o táxi seja espaço agradável e que o passageiro deseje utilizar sempre.

Segurança do veículo táxi para melhor atender o passageiro:

I. Pneus cumprindo normas de segurança;
II. Cumprir os prazos estabelecidos de segurança para revisões e manutenção de cada item do veículo;
III. Vistoria aprovada pelo DTP;
IV. Freios ABS;
V. Air Bag.

Orientações associativas

As normas estabelecidas livremente pelos taxistas associados ou vinculados em organizações específicas de ponto ou de categoria, por meio de associações, cooperativas, empresas de táxi ou de rádio táxi, devem ser cumpridas pelos respectivos taxistas nos termos das regras estabelecidas nos seus regulamentos de funcionamento, regimentos internos, normas associativas e estatutos, as quais poderão ser convalidadas pelo DTP, desde que não infrinja lei vigente, não se oponham, nem contradigam as regulamentações do serviço de táxi vigente.

As associações, cooperativas e empresas de táxi ou de rádio táxi podem solicitar de seus associados, cooperados ou parceiros vinculados para a prestação do serviço de táxi, o cumprimento das regras estabelecidas entre seus associados, cooperados ou parceiros para a fiel manutenção de suas atividades voltadas ao melhor atendimento dos usuários do serviço de táxi ou estipular regras baseadas nessas orientações.

O taxista titular de alvará ou de Condutax vinculado à associação, cooperativa ou empresa, a qual, livremente, vinculou-se, associou-se, tornou-se parceiro, aderindo às normas de organização associativa, cooperativa ou empresária para melhor prestar serviço de táxi aos seus usuários, beneficiando-se do esforço coletivo, têm a responsabilidade de arcar com suas obrigações perante a instituição da qual faz parte.

A regularidade do cumprimento das obrigações assumidas deve ser informada ao Departamento de Transporte Público – DTP na data de renovação de Condutax e do Alvará. Os fatos desabonadores serão registrados no prontuário do taxista. Constatadas irregularidades praticadas pelo taxista, o DTP adota as medidas previstas na legislação que regula a matéria.

O Setor de Disciplina da Divisão de Fiscalização do Departamento de Transportes Públicos – DTP intima os taxistas infratores e adota os procedimentos necessários para imposição das penalidades previstas na regulamentação que o fato estiver previsto e normatizado.

 

Fiscalização:
O descumprimento de qualquer item aqui estabelecido sujeita o infrator às penalidades estabelecidas na Lei Municipal nº 7.329/69, com suas atualizações e complementações, de maneira especial a Lei Municipal nº 10.308/87.
Os agentes de fiscalização ficam encarregados de verificar os itens apuráveis nos atos fiscalizatórios.

 

Sobre Carlos Laia

A Voz Do Taxista é um portal de notícias criado por Carlos Laia para levar informações a classe dos taxistas, acompanhando os acontecimentos, dando opinião e ouvindo os principais personagens do incrível mundo do táxi.

DEIXE SUA OPINIÃO!