Home / TÁXI NEWS / Taxistas de São Paulo obtém grande vitória na justiça
app
Black Táxi

Taxistas de São Paulo obtém grande vitória na justiça

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

“O Táxi Preto deveria voltar a origem para a qual foi criado”

Essa frase é do Geovanni Romano do SINDITAXI-SP em reunião da Câmara de Transporte da Cidade de São Paulo, mas um ano se passou e nada foi feito.

Há tempos a Voz Do Taxista vem alertando os taxistas de São Paulo sobre a omissão, falta de transparência e por que não dizer, prevaricação das lideranças da classe. Um dos fatos que demonstra isso é a criação da modalidade táxi preto sem a devida preparação dos taxistas para a nova modalidade e o abandono desses a própria sorte.

O táxi preto poderia ter contribuído muito na luta contra o transporte clandestino atendendo uma demanda reprimida de passageiros corporativos, mas, a falta de preparo dos taxistas e o desconhecimento dos passageiros da nova modalidade fez com o desespero tomasse conta da categoria.

Muitos perderam os carros, 80% está inadimplente tendo com isso se sujeitarem um novo parcelamento que ao final do prazo dobrará o valor do alvará.

UBER
Taxistas conferem lista dos contemplados

Essa semana mais um capítulo dessa negra história do táxi de São Paulo se deu nos tribunais com resultado positivo para os taxistas, mas sem a participação de nenhum dos sindicatos e políticos que vem se beneficiando da situação de penúria da classe.

Fabiano Martin é o criador e CEO do aplicativo Black Táxi.

Foi um dos muitos taxista abnegado que tem sacrificado muitas vezes a família que não desistiu do táxi preto e foi atrás de uma solução menos traumática que trouxesse algum alívio aos taxistas do táxi preto. Desde o início do táxi preto procurou ajudar a nova categoria, criou o aplicativo exclusivo para trazer passageiros corporativos, segmento que deveria ser o principal alvo da modalidade e atuou junto ao DTP na solução dos problemas enfrentados por esses taxistas.

Recentemente em uma das muitas idas ao DTP ficou sabendo que mais uma vez o táxi preto seria prejudicado com a paralisação da criação de pontos para privativos, a dificuldade era o pagamento da mensalidade do valor do alvará.

Fabiano Martins conheceu a ANPLIA Associação Nacional de Defesa do Profissional Liberal que através do Dr. João Pereira Rodrigues OAB 337.805, impetrou uma ação pedindo o pagamento das parcelas em juízo até o tribunal julgue se o pagamento total do alvará do táxi preto é legal.

O pedido dos taxistas foi aceito pelo Juiz Randolfo Ferraz de Campos da 14º Vara da Fazenda Pública da capital.

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">
01 12 15 SAO PAULO SP CIDADES UBER Ponto de taxis pretos, Uber, ao lado do Hotel Renaissance, na Alameda Santos. Foto GABRIELA BILO / ESTADAO

No despacho o juiz dá prazo de trinta dias para que o advogado da ANPLIA entre com ação principal pedindo anulação da cobrança. Nesse momento os taxistas ganharam o direito de pagar em juízo até que se julgue o processo da extinção da cobrança pelo alvará, caso ganhem a principal esse valor será devolvido pelo justiça.

A associação ANPLIA está representando nesse momento cento e oitenta taxistas do táxi preto que vão pagar os honorários em parcelas, no acordo feito entre os taxistas e a ANPLIA, somente seria pago os honorários do advogado caso esse conseguisse a liminar.

Os tsxistas do tsxi preto que desejarem se beneficiar da decisão do juiz deve entrar em contato com a Black Taxi pelo e-mail ou pessoalmente na sede do aplicativo. Rua  Pascal, 1.353 Sala 06 Campo Belo

Telefone: 11 4446-6000

E-mail: fabiano@blacktaxi.vip

Facebook: facebook.com/blacktaxi.vip/

Veja abaixo com será feito o pagamento dos honorários e o recolhimento judicial da mensalidade judicial.

1) Sobre o depósito das parcelas em juízo, emitiremos uma guia para cada taxista fazer o depósito judicial do valor da sua parcela no Banco do Brasil. Na guia de depósito judicial constará o nome da associação, o do taxista e o número do processo.
2) O taxista que não fizer o depósito judicial da parcela na data correta perderá o efeito da liminar, terá que pagar as parcelas seguintes para o DTP, até o fim do processo.
3) Sobre o pagamento dos honorários e da taxa da associação, será enviado um boleto para cada taxista, por e-mail, com prazo de 30 dias para pagamento.
4) Junto ao boleto dos honorários será enviado também o contrato de serviços advocatícios e o recibo do valor pago.
5) Na próxima semana havendo interesse dos Senhores e Senhoras para fazer uma reunião marcaremos dia e horário.
Obs. A parcela do mês de outubro, 10/10/2017, deverá ser paga no DTP, infelizmente não haverá tempo suficiente para organizar o seu depósito em juízo.

Sobre Carlos Laia

A Voz Do Taxista é um portal de notícias criado por Carlos Laia para levar informações a classe dos taxistas, acompanhando os acontecimentos, dando opinião e ouvindo os principais personagens do incrível mundo do táxi.

1 Comentário

  1. Muito bom show amanhã eu vou entrar em contato com a blak taxi para entrar com uma ação contra essa ortoga injusta

DEIXE SUA OPINIÃO!