Home / NOTÍCIAS / Testamos o novo aplicativo da Rádio Táxi em Santa Cruz
Programa em uso por 97% dos motoristas da frota responde por 3,8% das corridas

Testamos o novo aplicativo da Rádio Táxi em Santa Cruz

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

Lançado há dois meses, o Dtáxi foi testado pela Gazeta do Sul e se mostrou eficiente como alternativa à chamada por telefone

Com 127,4 mil habitantes, Santa Cruz do Sul já tem demanda para aplicativos de mobilidade urbana. Para atender a essa procura e acompanhar a modernização do setor, a Associação Rádio Táxi lançou em outubro o seu próprio app, batizado de Dtáxi. Em funcionamento há dois meses, o programa está em uso por 97% dos 114 motoristas que integram a frota e responde atualmente por 3,8% das corridas.

Gazeta do Sul testou o aplicativo e encontrou bons resultados: é fácil de usar, oferece estimativa de preço e o carro chega rápido.

O táxi foi chamado na última quinta-feira na frente da Gazeta, na Rua Ramiro Barcelos, às 15h56. O destino foi a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). O aplicativo demorou dois minutos para encontrar um táxi e o veículo levou mais dois minutos para chegar.

Na parte superior da tela, foram identificados o modelo do veículo, a placa e o prefixo do táxi. O tempo de deslocamento até a Unisc foi de sete minutos e o valor ficou em R$ 15,44 – o app havia estimado em aproximadamente R$ 16,00.

Ao término da viagem, foi possível avaliar o motorista com até cinco estrelas. Testando a chamada pelo telefone da Rádio Táxi, o tempo de espera pelo veículo, no mesmo ponto, foi de cinco minutos.

Para o presidente da associação, Adair Neves, a mudança era necessária. “Ainda estamos passando por uma fase de familiarização com o sistema e de alguns problemas técnicos com internet lenta e também motoristas mais antigos com dificuldade em operar o smartphone, mas já esperávamos por isso”, comentou. As tradicionais chamadas por telefone seguem em operação – entre outubro e novembro foram 30 mil –, mas o objetivo é conseguir transferir a demanda para o smartphone.

“Em 2019 a nossa licença de rádio vence e, para continuarmos operando, precisaríamos implantar o sistema digital, que custaria em média R$ 2,5 mil por veículo”, contou. A migração total do serviço para o mobile, contudo, vai depender da adaptação de usuários e taxistas ao aplicativo.

“O rádio funciona muito bem, é justo e todo mundo conhece. Vamos precisar de tempo para que haja essa mudança e talvez deixarmos o telefone para trás, mas ainda não temos ideia de quando e se isso vai acontecer.”

O que o aplicativo oferece

Pedir e agendar corridas
O Dtáxi permite que o usuário chame o táxi na hora ou agende a corrida para mais tarde, informando o local de origem. Não é necessário informar o destino, mas existe essa opção.
Estimativa de preço
Quando o passageiro opta por informar o destino da viagem, o app faz uma estimativa de quanto a corrida vai custar e informa que o valor pode ser alterado dependendo do trânsito ou das condições climáticas.
Localização do motorista
Assim que o aplicativo encontra um motorista disponível o veículo  aparece no mapa, permitindo ao usuário acompanhar a chegada do carro em tempo real.
Mais formas de pagamento
Além de dinheiro, é possível informar o motorista para pagar a corrida com cartão de crédito, no carro. Ainda não existe a opção para pagar direto no aplicativo.
Identificação do veículo
Além de apontar onde o veículo está, o app mostra o modelo do carro e a placa, o prefixo do táxi e uma foto.

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

Impressão da repórter
O aplicativo tem interface bem simples e fácil de utilizar. Ele identificou o local de origem automaticamente, não pesou na memória do celular e consumiu os dados móveis de forma moderada. Achei rápido o tempo de chegada do carro, mas senti falta da identificação do motorista, que é oferecida por outros apps. Imagino que isso não seja possível porque os taxistas muitas vezes revezam o carro. A opção de pagar com cartão direto no app também fez falta. De forma geral, está aprovado.

Outros apps testados pela Gazeta

Além do Dtáxi, a Gazeta do Sul testou outros dois aplicativos de mobilidade urbana na semana passada. Um deles foi o Moovit, que está disponível desde 31 de outubro no município e foi utilizado pelo repórter Rodrigo Nascimento. O outro foi o Garupa, que surgiu em meados de julho e foi avaliado pela repórter Heloísa Corrêa:

Moovit
O que oferece: o app informa a parada de ônibus mais próxima de onde o usuário está, as linhas que passam por ali e a previsão de chegada do próximo ônibus. Para planejar a viagem, só é necessário informar o local de origem e o destino desejado. A implantação desse aplicativo em Santa Cruz estava no contrato assinado entre a Prefeitura e o Consórcio TCS em dezembro do ano passado. As informações são do próprio consórcio e se mantêm atualizadas por meio do GPS instalado nos coletivos.

Quanto custa: o download do app é gratuito. Já o transporte custa o valor da passagem do ônibus urbano – R$ 3,50 em Santa Cruz.

Impressão do repórter 
O Moovit está aprovado no teste de funcionalidade. O aplicativo que indica a oferta e o trajeto das linhas de ônibus de Santa Cruz é prático e tem todas as informações necessárias para quem precisa utilizar o transporte público. Da seleção do destino até a chegada, saindo do Centro até a Unisc, passaram-se 18 minutos. O sistema informa o horário de partida dos ônibus e indica a parada de embarque mais perto. Ao ingressar no coletivo, dá para acompanhar o circuito de paradas de ônibus e, quando se aproxima do destino, o app avisa o usuário.

Dica do Rodrigo: para selecionar a linha de ônibus, o ideal é que o passageiro já esteja na parada, pois a contagem do tempo total da viagem – da partida à chegada – inclui o período de espera para o embarque. Assim, se o passageiro estiver muito longe do ponto de embarque, corre o risco de perder o ônibus.

Garupa 
O que oferece: o Garupa, diferente do Dtáxi, é um aplicativo de carona, semelhante ao norte-americano Uber e ao espanhol Cabify. O funcionamento é parecido com os outros da categoria e o pagamento pode ser em dinheiro, sistema pré-pago ou cartão de crédito direto no aplicativo. Pela quarta vez – as outras tentativas foram em agosto e setembro – a Gazeta não conseguiu um veículo pelo app, que informava que todos os motoristas estavam ocupados no momento.

Quanto custa: o download é gratuito, mas não foi possível testar a diferença em relação ao táxi.

Impressão da repórter
O Garupa, mais uma vez, não funcionou. Apesar de ter um design bonito e ser bem funcional e intuitivo, aparentemente é difícil conseguir motoristas disponíveis em Santa Cruz. Selecionei no mínimo três vezes cada uma das formas de pagamento e em todas as tentativas não consegui uma carona.

Sobre Carlos Laia

A Voz Do Taxista é um portal de notícias criado por Carlos Laia para levar informações a classe dos taxistas, acompanhando os acontecimentos, dando opinião e ouvindo os principais personagens do incrível mundo do táxi.

DEIXE SUA OPINIÃO!