É o caso de Radilson Silva da Cruz, executado dentro do carro ao qual utilizava como ferramenta de trabalho no Uber. Ele foi assassinado após chegar na Travessa Irmã Vitória, local em que iria buscar um amigo, no dia 03 de maio deste ano.

Segundo divulgou a Delegacia de Homicídios da Zona Norte-2 (DHPP ZN-2) que faz parte da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) de Natal, a motivação do crime foi uma briga entre as facções criminosas aos quais os envolvidos têm participação. A vítima já tinha passagem pela polícia.

Nesta segunda-feira (07), Jardel Júlio de Carvalho Marques, 21 anos, foi preso temporariamente pelo crime. Imagens das câmeras de segurança mostram o momento em que ele chega na Travessa em uma moto acompanhado de seu irmão, Diego Rafael Carvalho Marques, 26 anos. Após um tempo, um homem ainda não identificado aparece nas imagens chegando em outra moto, entrega a arma de fogo utilizada no crime para Jardel e vai embora em seguida.

="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-2309922433896559" data-ad-slot="9960967624" data-ad-format="auto">

Quando o motorista Radilson chega no local, Jardel efetua vários disparos com a arma. A vítima tentou fugir dando ré no carro, mas acabou batendo em uma casa. O homem que ainda não foi identificado aparece nas imagens retornando ao local do crime e empreendendo fuga com a dupla.

Jardel disse em depoimento na DHPP ZN que Radilson Silva teria assassinado seu tio, mas ainda não há comprovação no relato. O motorista do Uber respondida por porte ilegal de arma de fogo e por roubo. Diego Rafael responde por tráfico de drogas, roubo e receptação e já se encontrava preso. Foi adicionado contra ele o mandado de prisão temporária expedido. Jardel Júlio responde por outro homicídio, contra Max Ronny Soares de Carvalho, além de responder pelo crime de tráfico de drogas.

Jardel Júlio foi encaminhado ao sistema prisional onde aguardará a decisão da Justiça. A Polícia Civil disponibiliza as imagens do momento do crime para que seja possível a identificação do terceiro envolvido que não foi identificado. Quem tiver informações sobre a sua identidade ou localização pode realizar denúncia anônima através do Disque-Denúncia 181.