Clara Averbuck denuncia motorista do Uber por estupro dentro do carro

“O mundo é um lugar horrível para ser mulher’, disse escritora no Facebook”

RIO — A escritora gaúcha Clara Averbuck fez um post no Facebook, nesta segunda-feira, relatando que foi estuprada por um motorista do aplicativo Uber. Na publicação, a autora conhecida por seus textos feministas contou, em detalhes, como tudo aconteceu. Clara disse ainda que, após o ocorrido, está em casa e medicada. A empresa Uber, por sua vez, informou que baniu o motorista denunciado pela escritora.

“O nojento do motorista do Uber aproveitou meu estado, minha saia, minha calcinha pequena e enfiou um dedo imundo em mim, ainda pagando de que estava ajudando “a bêbada”. Estou machucada mas estou em casa e medicada pra me acalmar. Estou decidindo se quero me submeter à violência que é ir numa delegacia da mulher ser questionada, já que a violência sexual é o único crime que a vítima é que tem que provar”, diz trecho do post.

Motorista da Uber estupra escritora
Clara Averbuck denunciou estupro em rede social – Reprodução/Facebook
Leia mais: https://oglobo.globo.com/sociedade/clara-averbuck-denuncia-motorista-do-uber-por-estupro-dentro-do-carro-21756446#ixzz4rAv2BChG
stest

Ainda na postagem, a autora de 38 anos conta que ficou com um olho roxo e que “a culpa de ter bebido e me colocado em posição vulnerável”. Mas deixa claro que a culpa não é dela. E faz um alerta às mulheres.

“Estou com o olho roxo e a culpa de ter bebido e me colocado em posição vulnerável não me larga. A culpa não é minha. Eu sei. A dor, a raiva e a impotência também não me largam. Estou falando tudo isso para que todas as que me lêem saibam que pode acontecer com qualquer uma, a qualquer momento, e que o desamparo e o desespero são inevitáveis. O mundo é um lugar horrível pra ser mulher”, escreveu.

Clara não revelou, em seu post, exatamente quando e onde aconteceu o crime denunciado. Em nota, a Uber repudiou o ocorrido e informou que o motorista foi identificado e banido da empresa.

“A Uber repudia qualquer tipo de violência contra mulheres. O motorista parceiro foi banido e estamos à disposição das autoridades competentes para colaborar com as investigações. Acreditamos na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência contra a mulher”, diz nota.

Na publicação feita por Clara, diversos internautas deixaram mensagens de apoio à escritora.

“Todo amor & solidariedade a Clara Averbuck, que foi estuprada no Uber. Repúdio & horror: ela foi estuprada por que é mulher. E quer andar sozinha de noite e tem direito a isso”, escreveu uma internauta. “Todo meu carinho e toda minha solidariedade a você. Sua dor é a dor de todas as mulheres. E todo meu repúdio ao motorista estuprador! Que ele pague pelo que fez. Fique firme! Cerque-se de pessoas que possam lhe confortar”, escreveu outra.

Em seu Twitter, a autora agradeceu as mensagens de apoio que tem recebido e disse não se importar com os que insistem em culpar a vítima.

“Obrigada pelas mensagens de apoio e uma vassoura no cy de quem está tirando onda. caguei pra vocês, mores, ceis nunca me afetaram”, escreveu.

Carlos Laia

Taxista desde 2001, criador do site A Voz Do Taxista e da web Rádio Tera Byte. Nosso objetivo é levar notícias e informações sobre o táxi de todo Brasil a toda categoria, ouvindo representantes, autoridades e principalmente o taxista. Não temos vinculo com nenhuma entidade ou partido político.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios